Recursos do Sistema S: Fagundes quer evitar cortes

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Atualmente, a malha paulista é uma rede ferroviária que vai de Santa Fé do Sul (SP), quase na divisa com o Estado do Mato Grosso do Sul, até o Porto de Santos, em São Paulo. Mas, cuja concessionária, a Rumo Logística, tem planos ambiciosos para o Mato Grosso.

Segundo projeto da Rumo, há interesse da empresa em investir na ampliação do modal ferroviário mato-grossense. Uma proposta que soa como música aos ouvidos de empresários e homens públicos do Mato Grosso.

Renovação

Dessa forma, foi com grande satisfação que o Mato Grosso recebeu a notícia de que o Tribunal de Contas da União havia decidido pela renovação do contrato de concessão da empresa Rumo. Assim, um contrato que venceria em 2028 foi prorrogado até 2058.

Com esses 30 anos a mais, a empresa ganha fôlego, e motivação, para investir na expansão da malha ferroviária, no Mato Grosso. A intenção é de levar os trilhos da Malha Paulista até Cuiabá, e também para as cidades de Lucas do Rio Verde e Nova Mutum.

Corredor

Um dos que mais comemoraram a decisão foi o senador Wellington Fagundes (PL-MT), que preside a Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura do Congresso Nacional (Frenlogi), organismo que defende mais investimentos no setor, no país.

“Com a concessionária RUMO retomando a expansão da linha modal ferroviária, o corredor econômico do Centro-Oeste conduzirá pelos vagões, até o Porto de Santos, a força do nosso agronegócio e de toda cadeia produtiva industrial mato-grossense”, enfatizou Wellington Fagundes. “Isso significa mais empregos, renda, cidades fortalecidas economicamente e nosso estado mais rico, conduzido pelos trilhos do progresso”, completou o parlamentar mato-grossense.

“Depois de Cuiabá, a ferrovia avançará ao norte do Mato Grosso, cobrindo todas as regiões produtoras do Estado, e se conectará a outras duas grandes malhas – a Ferrogrão, que ligará Sinop a Miritituba, no Pará; e a Transcontinental, cujo primeiro eixo será através da Ferrovia de integração do Centro-Oeste, ligando Mara Rosa, em Goiás, até Água Boa”, esclareceu o senador.

ANTT

Agora, entram em pauta, na ANTT, as etapas de estudos e planejamentos de expansão ferroviária até Cuiabá. A concessionária planeja duplicações, novos pátios, modernização de via, entre outras obras. Atualmente, as obras da ferrovia se encontram em Rondonópolis/MT, onde está localizado o maior terminal de cargas da América Latina.

“Esta conquista celebro com nossa bancada mato-grossense, em nome do senador Jayme Campos, que atuou incansavelmente conosco pela garantia de expansão da Malha Paulista em nosso estado; e festejo, ainda, junto com o nosso povo um futuro de desenvolvimento e oportunidades que trará mais e melhores dias de prosperidade às famílias mato-grossenses”, celebrou Wellington Fagundes.

Fechar Menu