Começa a viger o Plano Safra 2020-2021

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Para este ano de 2020, as importações chinesas, de soja, devem atingir 92,38 milhões de toneladas

Importações chinesas devem seguir aumentando até 2025. Assim, conforme previsão da Agência de Notícias Reuters. A matéria ganhou repercussão no site da Agrolink, especialista no setor agropecuário.

De acordo com a matéria da agência internacional de notícias, as importações de soja, pela China, estão sendo estimadas em 92,48 milhões de toneladas neste ano. Dessa forma, segue o ritmo de trabalho na logística de transportes e de portos, no Brasil.

Outro item que subirá na pauta de importações da China é a carne de porco. Não apenas porque a carne de porco é a principal carne das famílias chineses, mas, sobretudo, porque os estoques estão baixíssimos, há algum tempo, e piorou com a pandemia.

Segundo o site Notícias Agrícolas, em março, o custo da carne suína na China foi 116,4% maior que no ano anterior. Dessa maneira, o alto custo da carne alimentou um aumento semelhante na preocupação entre os líderes da China.

Crescimento

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), até 2025, as importações chinesas de soja deverão crescer para 96,62 milhões de toneladas. Outrossim, em 2029 deverão alcançar 99,52 milhões de toneladas.

No caso da carne suína, conforme a matéria da Agrolink, as compras devem avançar até 2,8 milhões de toneladas, uma elevação de 32,7% na comparação anual. Os EUA são uma das principais fontes de importação de carne suína da China. Mas a disseminação do coronavírus forçou Smithfield, o maior produtor de carne da América, a fechar três de suas plantas.

“A China é um importante comprador de soja e carne suína em nível global e tipicamente importa milhões de toneladas da oleaginosa por ano para processar e transformar em ração animal. A peste suína africana, no entanto, reduziu em mais de 40% o rebanho de porcos do país no ano passado, reduzindo a oferta do principal país consumidor de carne suína”, aponta o portal suinoculturaindustrial.com.br.

Fechar Menu