Transporte de passageiros

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Dificuldades que vêm sendo enfrentadas pelo setor de transporte de passageiros, no país, por conta da pandemia, foi motivo de audiência entre representantes do setor e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, nessa quinta-feira, 16.

Com efeito, a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) está reivindicando do governo federal a aquisição de créditos eletrônicos de transporte (passagens) pelo Governo Federal.

De acordo com a proposta, os créditos poderiam ser reservados aos programas sociais do Governo. Sobretudo, para utilização futura dos seus beneficiários no transporte público urbano e de caráter urbano por ônibus. Dessa forma, englobando os sistemas municipais, metropolitanos e de aglomerados urbanos.

Segundo a proposta da NTU, o Governo Federal destinaria R$2,5 bilhões por mês para aquisição dos créditos eletrônicos de passagens. Dessa forma, enquanto perdurar a crise do COVID-19.

De acordo com os empresários, esse seria o valor necessário para equilibrar custos e receitas no setor e para manter em funcionamento mínimo o transporte público por ônibus. A redução na movimentação de passageiros observada nas últimas semanas é da ordem de 80%.

Frenlogi

Em nome da Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura (Frenlogi), o senador Wellington Fagundes (PL-MT) que preside o organismo, e que intermediou a conversa, alertou o ministro sobre o tamanho da aflição vivida pelo empresários dos transportes urbanos.

Para o presidente da NTU, Otávio Cunha, as medidas propostas pelos empresários dos transportes urbanos revelam-se como única forma de manter a operacionalização do setor. Assim, por força do quadro bem desfavorável à preservação das empresas e dos empregos.

Reconhecendo a necessidade das empresas de transportes urbanos de passageiros, o ministro Rogério Marinho garantiu que vai encaminhar a reivindicação ao Ministério da Economia e ao presidente Jair Bolsonaro.

Também em sua fala, o ministro fez questão de ressaltar a importância do trabalho desenvolvido pela Frenlogi, e pelo seu dirigente máximo, o senador Wellington Fagundes. Dessa maneira, Marinho considerou a atuação do dirigente como fundamental para a preservação do setor logístico e de infraestrutura, no momento e para o futuro. diante da crise provocada pela pandemia.

Participaram da reunião entre Frenlogi e o Ministério do Desenvolvimento Regional:

FRENLOGI

Wellington Fagundes, Presidente da Frenlogi

Hugo Leal, Vice-Presidente da Frenlogi

Antonio Anastasia, Vice-Presidente da Câmara Aeroviária da Frenlogi

Edinho Bez, Diretor de Relações Institucionais da Frenlogi

Tiago Lima, Vice-presidente IBL

Vander Costa, Presidente da CNT

Valter Souza, Diretor de Relações Institucionais da CNT

Francisco Pelúcio, Presidente da NTC&Logística

Marcos Aurélio, Diretor da NTC&Logística

Fechar Menu