Queda na economia

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Queda na economia será de 4,2%, na projeção da CNI. Dessa forma, a entidade modifica sua previsão anterior que era de um crescimento na ordem de 2,5%. De acordo com a confederação, a mudança se deve ao impacto do coronavírus.

Entretanto, a projeção de uma queda de 4,2% considera que as políticas de auxílio do governo serão suficientes para manter a maior parte das empresas funcionando. E, ainda, impedir queda forte na renda das famílias.

Mas, também que o isolamento social vai começar a ser flexibilizado ainda neste mês de maio. Com relação ao PIB da Indústria, a expectativa da CNI é de que a atividade caia 3,9% neste ano. Antes a previsão era de um crescimento de 2,8%.

As informações foram publicadas pelo jornal O Globo, em sua edição desta quarta-feira, 11. Em matéria sob o título “Com pandemia, indústria projeta queda de 4,2% na economia em 2020”.

Consumo

Segundo a CNI, “três em cada quatro consumidores vão manter redução no consumo no pós-pandemia”. Pesquisa da entidade revela que praticamente metade dos trabalhadores (48%) tem medo grande de perder o emprego.

O levantamento mostra que, assim, somado ao percentual daqueles que têm medo médio (19%) ou pequeno (10%), o índice chega a 77%. Muitos dos entrevistados já sentiram o efeito da crise no bolso.

Do total de entrevistados, 23% já perderam totalmente a renda, e outros 17% tiveram redução no ganho mensal. Isso significa dizer que quatro em cada 10 brasileiros acima de 16 anos perderam poder de compra desde o início da pandemia.

“Há muito a ser feito nos próximos meses, mas devemos manter a confiança na ciência e na resistência da nossa economia. Certamente, com persistência e atuação conjunta, conseguiremos vencer o novo coronavírus, esse poderoso inimigo, superar a crise decorrente da pandemia e retomar a rota do desenvolvimento econômico e social do Brasil”, afitma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Fechar Menu