Sobre logística e infraestrutura, Frenlogi promove webinares

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Programa de recuperação econômica é motivo de proposta formulada por quatro especialistas. Segundo matéria do jornal Valor Econômico, três economistas, e um engenheiro e consultor, estão elaborando a proposta.

Conforme o Valor, esses especialistas são os economistas José Roberto Afonso, Geraldo Biasoto Júnior, Murilo Ferreira Viana, além do engenheiro e consultor Paulo Vales. 

De acordo com o projeto, seriam garantidos recursos suficientes para as empresas pagarem as suas despesas básicas e os tributos pelo período de quatro meses. Dessa forma, para evitar que a atual retração da atividade econômica degenere em quebra de empresas, desestruturação das cadeias produtivas e em inadimplência generalizada, segundo o jornal.

Nota de crédito

De acordo com a publicação, a ideia é criar uma Nota de Crédito de Recuperação Econômica (NCRE). A saber, que será emitida por cada empresa e comprada por um Fundo de Recuperação Econômica (FRE).

O custo da NCRE para a empresa será equivalente à Selic (taxa básica de juros da economia), mais uma taxa de administração, diz o jornal. Elas terão carência de oito meses e deverão ser pagas pelas empresas em 36 meses, após a carência.

“As NCRE geram, em parte, crédito imediato para liberar o caixa da empresa para fazer frente a outros custos de produção”, explica o texto da proposta. “É fundamental assegurar que dificuldades empresariais de liquidez, decorrentes da emergência da atual crise, não se transformem em problemas generalizados de solvência”, esclarecem os responsáveis pela ideia.

Ainda de acordo com eles, “os diversos tesouros (federal, distrital, e municipais) receberão recursos monetários que possibilitarão uma sensível redução do nível de inadimplência que qualquer estimativa avalia como gigantesco, para os próximos meses”.

A proposta prevê que o Tesouro lançará um título para “recolher a moeda que sobra no sistema monetário”. Seria lançada uma série especial, de Guerra, que os autores chamaram de Letras Financeiras do Tesouro – G, com prazos e condições semelhantes às das operações compromissadas.

Mais detalhes, no jornal Valor Econômico, por meio do link:

https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/05/06/refis-ex-ante-pode-ajudar-empresas-a-pagar-tributo-propoem-especialistas.ghtml

Fechar Menu