BR-174: obras serão aceleradas

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

BR-174. Durante reunião entre o governador Mauro Mendes, os senadores Wellington Fagundes (PL-MT) e Jayme Campos (DEM) e o secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Oliveira, na última terça (28), o Governo de Mato Grosso garantiu que manterá convênio com a União e acelerará gestão para execução de obras de pavimentação na BR-174 no estado. A rodovia liga Castanheira a Juruena e Colniza (trecho que ainda não conta com pavimentação).

Firmado com a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra/MT), o asfaltamento da rodovia está previsto através do convênio 143/2013. A saber, a estimativa de investimento é de R$ 685 milhões (do Km 815 ao Km 1.137 /Castanheira a Colniza). O trecho é apontado como um dos mais críticos no Estado. Assim, no início do ano, vários pontos foram interditados devido às chuvas na região.

DNIT

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informa que a rodovia conta com 129 pontes (duas de concreto e o restante de madeira). Outrossim, uma delas não suportou o volume das chuvas e foi interditada.

Da tribuna do Senado Federal, os senadores matogrossenses alertaram sobre a situação crítica da rodovia. Em resposta, o DNIT agiu, imediatamente, recuperando emergencialmente a ponte. Assim, durante a ação, proibiu o tráfego de veículos com peso superior a 48,50 toneladas para evitar possíveis novos problemas de trafegabilidade.

“Através do convênio foram repassados cerca de R$ 40 milhões ao governo do Estado para elaboração de projetos e estudos ambientais e indígenas. Dessa forma, trabalhando para estreitar ações imediatas entre os governos Estadual e Federal colaboramos para que as obras ocorram o mais rápido possível e a população não seja prejudicada por longa espera para solução do problema”, pontuou o senador Wellington Fagundes, que é presidente da FRENLOGI – Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura do Congresso Nacional e do Grupo Parlamentar Vanguarda.

Fechar Menu