Desafio da logística

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Webinar com participação da CNT, CNA, CNI e cooperativas confirma preocupação geral com melhorias na logística e na infraestrutura do país

Marcando o primeiro aniversário do relançamento da Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura (Frenlogi), o organismo realizou, na última sexta-feira, 29, o primeiro webinar de uma série de quatro programados, sobre o tema “Os desafios da infraestrutura, da Indústria e do Agronegócio no pós covid19”.

Participantes

Tendo como moderador o vice-presidente do Instituto Brasil Logística, Tiago Lima, o evento teve as participações do presidente do órgão parlamentar, senador Wellington Farias (PL-MT), do presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Vander Costa, do presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), João Martins, do deputado federal Neri Geller (PP-MT), do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, e do superintendente da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Robson Mafioletti.

Desafio da logística

A título de resumo, a preocupação o desafio da logística e da infraestrutura no Brasil permeou as intervenções dos participantes. Dessa forma, todos enxergam na melhoria das condições da logística nacional fator vital para a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional.

Frenlogi

O presidente da Frente de Logística e Infraestrutura (Frenlogi), senador Wellington Fagundes (PL-MT), abriu a webinar comentando a gravidade da crise atual. Segundo especialistas, lembra o senador, a economia global terá uma retração de cerca de 3%. Dessa forma, 10 vezes mais acentuada que a da crise 2008-2009.

Ele citou, ainda, a elevada fuga de capitais dos países emergentes e os duros efeitos sociais que tudo isso provoca. Para Fagundes, há três linhas a serem seguidas para que o Brasil possa se reerguer da crise: retomada dos investimentos na infraestrutura (no sentido de vencer o desafio da logística), fortalecimento da indústria e incentivo ao agronegócio.

Mais uma vez o dirigente da Frenlogi referiu-se à importância que teve a renovação da concessão da Malha Paulista para o Centro Oeste, e, particularmente, para o Mato Grosso. Mas também para o Brasil como um todo. Porém, voltou a insistir na tese de que é preciso investir mais na multimodalidade no transporte. Afora, a necessidade de desembaraçar a renovação de outras concessões.

CNT

O empresário Vander Costa, presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), abordou a questão da multimodalidade, no desafio da logística. E, ainda, a questão da estabilidade jurídica. Ambos os aspectos como essenciais para garantir mais investimentos.

Vander lembra que não é somente o investimento internacional que interessa ao país. Conforme enfatiza, é preciso, da mesma forma, atrair o investidor nacional, que busca investimentos rentáveis para o capital disponível.

Para ele, também nesse sentido, é preciso haver mais competitividade nos modais para a redução de preços, no transporte. Citando como exemplo o modal ferroviário, Vander defende mais competitividade no setor.

Segundo defende o presidente da CNT, é preciso usar mais e melhor as hidrovias. Segundo pensa, as hidrovias precisam basicamente de sinalização e algumas dragagens para servirem melhor como vias de transportes importantes que são para o país.

Vander Costa deteve-se na questão da necessidade de investimentos públicos nas empresas aéreas, bastante prejudicadas com a crise da Covid-19. Enfim, deteve-se na análise da crise no transporte de passageiros. Na sua visão, um dos segmentos mais afetados por conta da crise sanitária.

CNA

João Martins, presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária, seguiu na mesma linha do presidente da CNT. Isto é, nomeando a questão da logística como fator de encarecimento dos produtos.

Comentou sobre a velha contradição que ronda o setor, que é o da boa performance da porteira para dentro e das dificuldades da porteira para fora. Para o dirigente, o mundo pós-crise vai ser muito exigente com a qualidade dos produtos, mas, também, com o preço.

O problema, de acordo com o líder do setor de transporte, está nas condições atuais da logística. Dessa forma, o Brasil com baixa competitividade em termos de preços. Ele exemplificou sua intervenção com a necessidade de melhoria das condições dos portos do Arco Norte, que têm condições de exportar muito mais do que estão exportando, hoje.

A cabotagem, ao longo da costa brasileira, é outra preocupação do presidente João Martins, que defende a necessidade de melhor utilização desse tipo de transporte. Para ele, é preciso revisar os marcos regulatórios do transporte, no país.

Bancada do MT

O deputado Neri Geller (PP-MT) destacou, em sua fala, assim como o fez o senador Wellington Fagundes, o esforço da bancada do Mato Grosso para a renovação antecipada da Malha Paulista, que favorecerá o estado.

O parlamentar mato-grossense considera que o Tribunal de Contas da União prestou excelente contribuição técnica à solução da pendência sobre a renovação da concessão da Malha Paulista.

De sua parte, o presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade, mostrou-se bem preocupado com a situação particular da indústria brasileira, frente à crise.

Segundo ele, há 60% de ociosidade nas fábricas do país. O dirigente cita como efeito as previsões ruins para o PIB brasileiro. Andrade prevê um mundo pós-crise com tendência ao protecionismo, e, até, citou o Japão, nesse sentido.

Enfim, cobrou mais investimento do governo, especialmente nas pequenas e médias empresas. O líder da indústria nacional também defende mudanças nos marcos regulatórios com o objetivo de dar maior segurança aos investimentos.

Cooperativas

O último debatedor da excelente webinar promovida pela Frenlogi, foi o superintendente da Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná), Robson Mafioletti. Assim como os demais, ele também bateu na tecla da importância da logística e da infraestrutura para o sistema cooperativista. Conforme raciocina, vale muito o investimento no setor de transportes como um todo, a permitir o escoamento da produção.

Enceerramento

Em sua fala de encerramento, o senador Wellington Fagundes mais uma vez destacou o trabalho a ser feito em favor da logística. Nesse particular, falou da importância do Congresso Nacional na votação de propostas que favorecem o desenvolvimento do setor de infraestrutura nacional. “Nós precisamos é simplificar o Brasil”, enfatizou o parlamentar.

Ao final de sua fala, citou o acordo recentemente feito em torno da Lei Kandir, com a participação dos governadores e da equipe econômica, envolvendo os interesses dos estados com relação ao Fundo de Compensação das Exportações.

Fechar Menu