MP dos Portos é aprovada no Senado Federal e vai à sanção

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

40% tem a China da exportação brasileira, agora, Em meio ao desaquecimento da demanda global. Assim, enquanto outros mercados perdem participação, a China ganha ainda mais espaço nas exportações brasileiras.

De acordo com o jornal Valor Econômico, em maio, as vendas para o país asiático cresceram 35,2% em relação ao mesmo mês do ano passado. Dessa forma, representando 40,4% das exportações, contra 28,6% em maio de 2019. No acumulado do ano, a alta registrada foi de 15,4%.

Ainda conforme o Valor, as vendas para a Ásia como um todo cresceram 27,7% em maio e 16,8% no ano. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 01, pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. 

EUA

Ao mesmo tempo, diz a matéria, os desembarques para os Estados Unidos encolheram 43,5% no mês e 28,9% no ano. Para a Argentina, a queda foi de 51,2% e 26,1% na mesma base de comparação.

A demanda asiática, sobretudo por produtos agrícolas, expõe o Valor, foi responsável por evitar uma queda maior das exportações brasileiras no mês passado. Na verdade, a exportações caíram, pela média diária, 4,2% em relação a maio do ano passado. No ano, o recuo é de 4,5%, segundo a matéria.

“O bom desempenho exportador do agronegócio tem compensado o recuo observado para as exportações de produtos industrializados, conferindo resiliência ao setor exportador nacional e contribuindo para uma queda menos acentuada da atividade doméstica, em um contexto de queda progressiva do PIB global”, diz o secretário de Comércio Exterior, Lucas Ferraz, em nota que acompanhou a divulgação da balança.

O secretário destaca que o valor das exportações caiu em maio em função principalmente do “forte recuo dos preços internacionais”. Por outro lado, o volume exportado cresceu 5,6%, com recordes históricos de embarques de itens como petróleo, açúcar, farelo de soja, café e carne bovina. No mês, houve crescimento de 51,1% nas vendas agropecuárias. 

Matéria completa no Valor Econômico, clicando no link abaixo: 

https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/06/02/china-compra-mais-do-brasil-e-eleva-participacao-na-exportacao-para-40.ghtml